Mulher que morreu por Covid-19 no Hospital de Campanha é enterrada por engano em Poção de Pedras
15/03/2021 11:35 em Novidades

Neste sábado (13), o Hospital de Campanha de Lago da Pedra entregou  errado o corpo que deveria ser de uma senhora moradora do povoado São Salvador, zona rural de Poção de Pedras.

Houve cortejo fúnebre com carros pelas ruas. Familiares e amigos, cerca de 50 pessoas, realizaram uma breve celebração religiosa composto de hino e leitura da palavra; em seguida sepultaram o corpo acreditando ser da ente querida falecida. 

Logo depois do enterro ocorrido as 8 horas da noite de sábado no cemitério de Poção de Pedras, o Hospital de Campanha entrou em contato relatando o erro e encaminhando o corpo da moradora de Poção de Pedras; uma equipe desenterrou o corpo enganado.

 Ambas morreram de Covid-19 no Hospital  de  Campanha e seguindo protocolos de saúde, os caixões não podem ser abertos.  

O corpo que foi sepultado indevidamente em Poção de Pedras seria de uma senhora de Vitorino Freire.

Video do corpo da senhora de Vitorino Freire chegando no cemitério de Poção de Pedras 

 

Circula una versão para explicar a troca. 

"Um parente que foi fazer o reconhecimento disse que achou a morta diferente, mas alguém do hospital explicou que a morte por Covid-19 muda a aparência do cadáver. Então, ele assinou o reconhecimento. Mas os familiares da senhora de Vitorino Freire não a reconheram e foi nesse momento que se percebeu o erro,  quando uma já estava enterrada no Cemitério de Poção de Pedras", disse.

Além da dor da perda, os familiares tiveram que enfrentar mais essa angústia.  O Hospital Regional de Campanha Dr. Rubens Jorge ainda não emitiu nota de esclarecimento sobre a troca. Será que já são tantos mortos que já estão trocando os cadáveres?

 

Ainda sobre a polêmica troca de corpos que aconteceu no Hospital de Campanha de Lago da Pedra, o motorista da funerária Vida Eterna, que foi responsabilizado pela troca entrou em contato com o Blog do Carlinhos e rebateu as declarações da direção do hospital. 

 

De acordo com ele, nenhum erro foi cometido por sua parte, pois não é responsabilidade da funerária fazer trabalho de reconhecimento de corpos. Sendo assim, eles já teriam recebido o corpo com a identificação errada no hospital.

"Foi eu quem fui buscar o corpo no carro da funerária, e quem entregou o corpo errado foi o hospital. Já estava reconhecido pela família e o rapaz da unidade só entregou. Lá dentro tinha três falecidas chamadas Francisca, ele só pegou o corpo, colocou no caixão e botou no carro da funerária. Pode ter certeza que o erro não foi da funerária, mas do hospital. Está completamente errada a informação da diretora. Quem vê os corpos é a família e o hospital, nós da funerária nem temos acesso a esse procedimento, só recebemos o corpo", disse o motorista. 

A notícia de que a responsabilidade do erro caiu sobre a funerária surpreendeu muitos profissionais do ramo na região. 

 

 

A confusão se deu porque havia três corpos de mulheres, sendo que as três se chamavam Francisca. Uma delas era de Poção de Pedras, e outra de Vitorino Freire. Na ocasião, o motorista teria ainda perguntado para um servidor do hospital se eles tinham certeza se aquele que ele estava transportando era o corpo da Francisca de Poção de Pedras, recebendo resposta afirmativa.

 

Como os parentes não puderam olhar para o corpo durante o enterro, houve apenas uma cerimônia rápida tal como orientam as normas sanitárias e ela foi sepultada. Apenas momentos depois é que receberam a notícia de que era a pessoa errada, e tiveram que realizar o procedimento para desenterrar, gerando muito constrangimento para a família enlutada. 

 

Após ser constatado o erro, o motorista chegou até mesmo a orientar a família a buscar a justiça, e que a funerária seria testemunha em favor deles. 

Fonte blog do Carlinhos.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!